05/05/2015

05-05 Salinha de Leitura

Olá pessoal! Passei na livraria ontem e encontrei três livros que eu adorei. Então resolvi trazer as fotos pro blog. Se alguém aí já leu, deixe sua opinião nos comentários pra gente saber o que você achou!



Descrição: Recentemente falecido, o cultuado Terry Pratchett tem consagrada série Discworld agora editada pela Bertrand. Em Pequenos Deuses, Terry Pratchett faz uso de seu ácido humor para desenvolver uma crítica mordaz à religião institucionalizada. No Discworld é mundo palco de suas dezenas de histórias de sucesso e, o deus Om percebe, ao tentar se manifestar na Terra, que ficou preso no corpo de uma pequena tartaruga.
Precisará, então, contar com o auxílio do noviço Brutha para descobrir como recobrar seu poder a crença que lhe dá vida ao mesmo tempo em que grandes figurões planejam uma guerra santa. Pratchett, nesta sátira em seu mundo fantástico, volta a fazer o que faz de melhor: usa a fantasia e o humor para falar da realidade. (retirado de americanas.com)

*


"É o décimo sétimo dia que não consigo dormir." Ela era uma mulher com uma vida normal. Tinha um marido normal. Um filho normal. Ela até podia detectar algumas fissuras nessa vida aparentemente perfeita, mas nunca chegou a pensar seriamente nelas. Até o dia em que deixou de dormir. Então, o mundo se revelou. Um mundo duplo de sombras e silêncio; um mundo onde nada é o que parece. E onde ela não pode mais fechar os olhos. Sono é um conto de Murakami inédito no Brasil, com ilustrações de Kat Menschik.  (Retirado de submarino.com.br)

*


E se você pudesse mudar as escolhas da sua vida? E se ao nascer de novo, refazendo sua trajetória, pudesse mudar o destino de outras pessoas e até o curso da história? É esse fascinante jogo com o tempo que permeia a narrativa de Ursula, a personagem principal de 'O fio da vida', livro da escritora britânica Kate Atkinson. 
Vencedor do Costa Book Prize, O fio da vida transformou-se em fenômeno de crítica e de público. Além de ter ficado por mais de um ano na lista dos mais vendidos na Inglaterra e nos EUA, foi eleito o melhor livro do ano pela revista Time, um dos cinco melhores romances de 2013 pelo jornal The New York Times, o melhor livro do ano pelo jornal The Independent e um dos 10 melhores livros do ano pelos jornais Guardian e USA Today e pelos sites Salon, Amazon e The Daily Beast. 
Na trama, Ursula, que nasce em 1910, parece viver em um eterno déjà-vu. Às vezes, sabe o que alguém vai dizer antecipadamente. Ou prevê um incidente banal que vai acontecer. Fica confusa entre o que é real ou não. 
Sua família vive no interior da Inglaterra. Uma das criadas acha que Ursula tem um sexto sentido. A tia a considera uma pequena vidente. A mãe chega a dizer que Ursula é uma estranha no ninho. E o psiquiatra, dr. Kellet, comenta sobre reencarnação quando ela tem dez anos. Ele explica que seu cérebro pode ter uma pequena imperfeição, que a leva a pensar que esteja repetindo experiências, morrendo e renascendo, apesar de isso não ser verdade.
A autora Kate Atkinson narra os destinos de Ursula – todo o contexto se passa entre 1910 e 1945, abarcando os dramas das duas guerras mundiais – e desenha novas perspectivas a partir de um mesmo fato. E se ele tivesse acontecido de outra maneira, qual seria o seu fim? 
O relacionamento, nem sempre muito cristalino, entre os integrantes da família Todd, as criadas e os jardineiros, é muitas vezes pontuado por mortes, que nem sempre são esclarecidas. E é assim, com uma morte, a do futuro líder nazista, que Kate Atkinson nos apresenta Ursula e começa a jornada de sua personagem: ela saca da bolsa o velho revólver de seu pai, um movimento ensaiado uma centena de vezes, e dá um tiro, bem na altura do coração de Hitler. Cai a escuridão. Tudo recomeça? (Retirado de saraiva.com.br)

E aí, gostou dos livros? Eu adorei só pelas descrições, mal vejo a hora de ter os meus. Quando eu comprar/ganhar algum deles, farei uma resenha aqui no blog.
E lembre-se que se você já leu, deixe sua opinião aqui nos comentários!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...